REUTERS : União Europeia prefere monitorizar as moedas virtuais em vez de as regulamentar

A União Europeia prefere acompanhar as moedas virtuais , em vez de a regulamentar,  pelo menos por enquanto , porque não se sabe ainda o suficiente para justificar mais  regras além dos cuidados normais a ter com o branqueamento de capitais, isto segundo um responsável pelo organismo.

 

As 600 moedas virtuais são "minúsculas", sendo que a  bitcoin sozinha representa  90 por cento do um  sector avaliado em  7 biliões, isto quando comparadas com o volume diário de cerca de  5 triliões transaccionados no  mercados cambiais globais.

Depois dos ataques em Paris em Novembro passado, os políticos querem  assegurar-se que as moedas virtuais não são usadas para financiar o terrorismo.

Segundo um alto funcionário dos serviços financeiros da UE, Olivier Salles:

"É fácil falhar quando se pretende  regular,  podemos começar  demasiado cedo ou  demasiado tarde. Do ponto de vista da Comissão Europeia, estamos mais apostados no acompanhamento", 

"Queremos entender melhor o que está a acontecer".

O executivo da UE está a estudar opções para impedir actividades ilegais  como a  lavagem de dinheiro, mas "não estamos com pressa" para regular os produtos financeiros associados  a moedas virtuais.

Sean Ennis, um economista  da OCDE , disse que a UE pode aprender lições com a Inglaterra, que  manteve os requisitos regulamentares baixos  para este sector , permitindo que ate agora tenha crescido  muito mais rápido do que no resto do Europa.

 

Fonte

Rate this item
(0 votes)
 

JornalBitcoin Newsletter

Bitcoin Videos